quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Orações para Bobby


ÕRAÇÕES PARA BOBBY

ASSUNTO


Homossexualidade, família, religião, relações sociais, afetivas e familiares

SINOPSE

Mary é uma religiosa que segue à risca todas as palavras da bíblia. Quando seu filho revela ser gay, ela imediatamente leva o filho para terapias e cultos religiosos com o intuito de “curá-lo”. No entanto, Bobby não suporta a pressão e se atira de uma ponte, encerrando sua vida aos 20 anos de idade. Depois desse fato, Mary descobre um diário do garoto e passa a conhecer melhor o mundo dos homossexuais, tornando-se, logo, uma ativista em prol dos diretos gays. Este é um filme baseado na história verídica.Um filme intenso, dramático, e que espelha ainda hoje a realidade de muitos jovens no mundo.

TRAILER


O OLHAR DA PSICOLOGIA

Quando o filme foi lançado em 2009, era momento de muita ignorância. Desde 1990, a organização Mundial de Saúde (OMS) já havia retirado a homossexualidade da lista internacional de doenças, mas o assunto ainda era pouco compreendido.  Oito anos depois,  infelizmente, ainda encontramos discursos infelizes, ignorantes e homofóbicos, até mesmo de pessoas públicas. Por isso, decidimos falar do filme novamente, na tentativa de ampliar sua divulgação, evitando que discursos insanos  se perpetuem e continuem atingindo pessoas que têm todo o direito de serem quem são. A homofobia ainda é tama recorrente, infelizmente. Pior do que a falta de aceitação da sociedade, que já é bem ruim, é a não aceitação de si mesmo. Infelizmente, ainda é possível encontrarmos situações semelhantes. Bobby, como qualquer homossexual, não teve escolha. Tentar ser o que a sociedade deseja já é bastante neurótico, pensar ou funcionar de qualquer forma diferente, torna-se foco de incômodo social, que muitas vezes resulta em violência. Recentemente, me perguntaram se podiam indicar o filme. Respondo, sim, quantas vezes forem necessárias. O filme esclarece, emociona, provoca e nos convida a refletir. Como seria ter um filho, um irmão, um amigo, que deseja e ama pessoas do mesmo sexo, que não consegue sentir de outra forma? Quantos Bobbys ainda precisam passar por sofrimento semelhantes? Quanto tempo mais será preciso para que as pessoas aceitem as diferenças, incluindo qualquer outra, não contagiam, não são ameaças, não subtraem? Ao contrário, a diferença é condição para a saúde individual e social. A diferença é necessária para que haja troca, o que favorece o desenvolvimento do ser humano. Bobby foi um exemplo de caráter, de comportamento, um filho "perfeito", mas não foi comrpreendido, não encontrou seu lugar. Não foi aceito pelas pessoas que amava. Diante da falta de suporte, não foi possível enfrentar mais frustração, diante da decepção amorosa, desistiu. Contar sua história, e, a busca de sua família é alertar a sociedade para uma realidade necessária. As cenas do filme, incluindo o atravessamento da religião, da moral, dos valores sociais, oferecem uma aula sobre respeito, sobre humanidade, sobre como a ignorância pode resultar em situações infelizes. Por ser, aindam necessário, indicamos e reforçamos sua indicação para qualquer público, de adolescente a adulto, homossexual, bissexual ou heretossexual. Todos estão convidados a se emocionar e aprender com a experiência d Bobby e sua família.

O Filme é recomendado para todos, pois explica da melhor maneira possível a realidade de muitos homossexuais! Tanto o livro quanto o filme tratam da angústia do gay Bobby, que, desde os 16 anos, teve sua homossexualidade revelada para a família. Diante de muita pressão psicológica, se suicida aos 20 anos de idade, no ano de 1979. Até chegar a este ponto extremo, Bobby enfrentou o preconceito dentro de casa e as intervenções religiosas da mãe para afastá-lo do pecado. Não bastasse isso, ela submete o filho a tratamentos médicos. Sim, este é um filme que se conta o final, mas que não termina com a morte de Bobby, mas com tudo o que vem depois. E para a mãe Mary Griffith, o depois seria o inferno, pois seu filho teria cometido o pecado da homossexualidade. Leia mais clicando aqui
"Orações para Bobby" é um dos principais filmes de 2009 sobre o drama de ser gay na adolescência. Quem viu (homossexual ou hétero) costuma se emocionar e até chorar. A morte provoca um terremoto na família conservadora, e a história fica mais interessante com os desdobramentos: os parentes ficam se remoendo de culpa até encontrarem um caminho mais digno de superar o trauma.

8 comentários:

  1. Assim como Bobby, eu sou gay, sempre tive que esconder de todos esta realidade, inclusive de minha própria família... e quando eu finalmente tive coragem de contar para alguem, esta pessoa não compreendeu, e me condenou... a unica pessoa que soube da verdade, me fez sentir mais culpado do que jamais havia sentido. Neste dia eu estava dirigindo, e a unica coisa que passava pela minha cabeça era deixar o carro escapar por uma curva da estrada, e descer barranco abaixo, pois ao menos assim tudo estaria resolvido, e eu não teria mais que me preocupar com o julgamento dos outros... até hoje eu agradeço a Deus por não ter feito isto... não vale a pena desperdiçar a sua vida por causa do que os outros pensam.. se você se for, eles irão continuar aqui, e não são todos que se arrependem como no filme, infelizmente não é sempre assim. Então, se mais alguem está passando por isto, ou conhece alguem que está nesta situação... seja feliz, e não importa o que os outros digam... a vida é sua, e é uma só, não a desperdice!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido anônimo,
      Obrigada por compartilhar conosco sua experiência. Será muito útil para aqueles que passam por experiência semelhante. Obrigada, de coração. É muito importante que qualquer pessoa assista esse filme, e compreenda, que homossexualidade não é escolha, é uma forma de existir, como outra qualquer. Abçs

      Excluir
  2. Realmente é uma historia muito triste, parecia estar vendo a minha propria historia sendo retratada... Muito emocionante mesmo... Adorei!!!

    ResponderExcluir
  3. Mais do que um drama, creio que o filme é um alerta aos familiares e a sociedade. É preciso que todos tenham contato com essa possibilidade, reconhecendo a homossexualidade como uma forma de existir, independente da vontade. Todas as formas de amor valem a pena. É também um alerta aos homossexuais que não são compreendidos, pois há esperança de um reconhecimento a posteriori. Enquanto isso não acontece, viva sua forma de ser sem ressentimentos, alguns ainda não estão preparados para lidar com realidades diversas ao mundo individual e restrito. Homossexualidade não é qualidade, não faz ninguém ser menos ou mais, é apenas uma, dentre outras, formas de existir. A dica para todo ser humano ser feliz é a mesma, Se torne (revele-se) quem és, como és. Obrigada pelo comentário, volte sempre!

    ResponderExcluir
  4. A primeira vez que assisti Orações para Bobby era como se eu estivesse interpretando. Tudo o que Bobby retratou em seu diário é como me sinto. Tenho medo de que as pessoas que amo me condenem, apesar de saberem que isso é normal. Mas cheguei a conclusão de que temos que fazer o que Mary falou no final do filme: "Não devemos desistir do amor, temos que acreditar em nós mesmo"

    ResponderExcluir
  5. Ediseu,
    É lamentável que em pleno século XXI as pessoas ainda estejam contaminadas por essa visão estreita sobre o amor. O amor não pode ser certo ou errado, sujo ou limpo, grande ou pequeno, ser explicado ou justificado. Amor é amor, simples assim. Ou sentimos ou pensamos a respeito. Sua escolha é amar? Que bom, seja feliz! Vá em frente, sinta, viva, ame! A única fidelidade exigida para a felicidade é essa: seja fiel ao que sente. Aqueles que se acham no direito de "condenar", julgar ou dar qualquer tipo de rótulo aos sentimentos alheios, talvez precise apenas "des-cobrir-se" e aprender também a amar. No mais, agradeço imensamente sua corajosa participação,
    Abçs

    ResponderExcluir
  6. Achei muito lindo.... uma história de superação... espero que todos que assista tenham uma visão diferente e que quebre esse paradigma de estereótipos certo ou errado... a vida é para ser vivida do modo que nos faça mais felizes e cada um tem o seu meio de almejar sua felicidade seja heterossexual, bissexual, homossexual o amor é apenas o amor seja com quem for.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Morgana, faço minhas as suas palavras. Volte e participe sempre!
      Patrícia Simone

      Excluir

Sua opinião é muito importante!