quinta-feira, 13 de maio de 2010

O enigma das cartas

enigma das cartas

ASSUNTO
Luto,  infância, Altismo (?), psicodiagnóstico, Casal e família.

SINOPSE
Quando o marido de Ruth Matthews (Kathleen Turner) morre em uma queda, quando à noite fazia escavações arqueológicas em umas ruínas maias, a caçula do casal, Sally (Asha Menina), reage à morte do pai de maneira muito estranha, pois ao voltar para sua casa não profere uma só palavra. Quando o comportamento de Sally piora, Ruth se vê obrigada a deixar que Jacob T. Beerlander (Tommy Lee Jones), um especialista em crianças autistas, examine sua filha. Jacob tenta tirar Sally da sua desordem mental por métodos tradicionais, mas Ruth tenta de outra maneira, ao reproduzir em grande escala um castelo de cartas que sua filha tinha construído. Por mais estranho que seja, Ruth crê que só assim terá Sally de volta.


O OLHAR DA PSICOLOGIA
Note-se que o filme apresenta uma clara distinção entre o paradigma patológico e o holístico. Olhar a doença, identificá-la apenas com parâmetros registrados até então, é  um olhar patológico, que rotula. O olhar holístico percebe a totalidade do sujeito, é preciso fazer contato com o cliente e seu contexto. Portanto, fazer contato, "estar com" é fundamental para o processo terapêutico. Não desprezamos o olhar médico e suas categorias diagnósticas, no entanto, elas servem de fundo, para o que se revele a figura, no processo de 'estar com' o sujeito. Os sintomas, já categorizados em alguma patologia, nos servem apenas para orientar o processo. Enquanto o médico busca tratar o sintoma, seguindo o paradigma médico, a mãe decide  arriscar “estar com”. Ao se tornar quase uma “psicoterapeuta”, Ruth abre espaço para re-significação, não só da filha, mas também do encontro com o próprio luto não vivenciado. O renascimento ocorre a partir desse encontro verdadeiro, onde todo a simbologia da  cartas podem ser experienciadas em conjunto, trazendo nova re-significação para toda a família. O paradigma médico, representando polaridade oposta à atuação da mãe, permite que esta reconheça a presença do “sintoma”, favorecendo a integração. O filme retrata o processo de elaboração do luto a partir do sintoma evidenciado em um membro da família. Para psicoterapia de casal e família é um prato cheio. Para o profissional psi, seja psicólogo ou psiquiatra, a trama provoca sérias reflexões sobre o contato com o cliente, e, as diferentes formas de "tocar" o mundo do outro. Uma advertência aos profissionais que se prendem aos diagnósticos de pronto. O filme não foi aclamado pela crítica cinematográfica, entretanto fica evidente sua importância como disparador de reflexão humana. 
Muitos discordam do diagnóstico de autismo, afirmando que o correto seria algo como “transtorno reativo” ou "transtorno pós traumático". Ainda que os sintomas sejam semelhantes aos do Altismo, eles surgem durante o processo de luto. O mais importante mesmo é conhecer Sally, percebê-la, ouvi-la, estar com ela para compreendê-la. A perda inesperada do pai, as respostas aos seus questionamentos através das histórias do amigo Sectenel e a mudança de ambiente são fundamentais para a compreensão. No início da trama, ela registra algumas frases dele, como; “(...) Nos sonhos não se precisa falar.”, “(...) seu pai mora na lua.”, “Lembre-se que às vezes você precisa ficar bem quieta para ver as coisas.” Esses sintomas dão-se indícios que Sally começara a alimentar psiquicamente fantasias após as histórias contadas pelo Sectenel, no retorno ao ambiente, em que o contexto é estranho para ela. Ainda no México, durante a partida da família, Sally diz ao irmão que não se lembra da casa. Isto é, a partir do momento em que a família retorna a casa, um contexto agora estranho, surgem sintomas como, ocultamento da fala, ausência de socialização, mudanças no comportamento e aumento da função motora. 

Para ler um artigo imperdível sobre Reflexão sobre o adoecimento infantil, clique.

genio indomavel 2
Livro Cinema e ajustamentos criativos
O livro reúne filmes exibidos na “sessão de cinema”, iluminando-os gestalticamente, explorando, refletindo, debatendo os aspectos teóricos e vivenciais dos filmes, como ferramentas apropriadas para o ajustamento criativo. Indicado para o público em geral, vale a pena conferir!

11 comentários:

  1. Infelizmente não consegui o filme. Nem na internet, nem na minha locadora. Deixei pedido em vários locais, sem sucesso. Fiz a pesquisa, li o livro e quero muito ver o filme! se algum amigo tiver uma dica a respeito, me escreva.

    ResponderExcluir
  2. Adorei visitar este site. Encontrei o filme que procurava há algum tempo. Gostei da indicação de filmes.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, volte sempre, participe. Seja bem vindo!

    ResponderExcluir
  4. O filme encontra-se disponível completo e com legenda no youtube!

    ResponderExcluir
  5. Adorei o site!Muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada, volte sempre. Ando muito enrolada com obras em casa, mas em breve retorno com mais postagens. Um aperitivo apenas: filme indiano de 2008, que no Brasil recebeu duas traduções: Como Estrelas na Terra e Somos Todos Diferentes. Nos Estados Unidos, foi exibido com o título: Every Child is Special (Todas as crianças são especiais).embora o filme fale de dislexia e da relação educador/criança, é um filme primoroso e está disponível na net. Em breve farei a postagem. Abraços!

    ResponderExcluir
  7. O filme completo está disponível em http://www.filmesonlinegratis.cc/details.aspx?id=3617

    ResponderExcluir
  8. Adiciono outro link: http://www.assistironlinefilmes.com.br/2012/08/assistir-filme-o-enigma-das-cartas-dublado-online.html - Não esqueça de antes de assistir ao filme, clicar play e pause, para que ele carregue o suficiente e não ser interrompido durante a exibição.

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante!